Todo estudante sabe como é exaustante ter que aprender muitos conteúdos, geralmente, ao mesmo tempo. Para dar conta de todas essas disciplinas, muitos estudantes procuram alternativas e métodos que ajudam a memorizar uma série de extensos conteúdos e potencializar o desempenho e esse processo de aprendizagem. Entre esses métodos, existem os mapas mentais. Você já ouviu falar?

Os mapas mentais são diagramas, ou fichas de estudos, voltados para a gestão de informações, conteúdos e conhecimentos, de forma que seja melhorada a compreensão mental, solução de problemas e memorização e aprendizado. Ou seja, é uma ferramenta de estudo que vai te dar aquele empurrãozinho na hora de aprender qualquer matéria.

Basicamente, os mapas mentais são resumos elaborados com associações, desenvolvimentos com muitas cores, imagens, gráficos, frases de efeitos, setas, entre outros. A ideia é pegar uma ficha em branco (que pode ser metade de uma folha A4, por exemplo) e colocar um conteúdo central nesse espaço. A partir desse tema central, é possível adicionar conexões a uma série de informações necessárias e que ajudam a compreender melhor esse tema central. Essa técnica é fácil e muito intuitiva, você só precisa de canetas coloridas e imaginação.

Com os mapas mentais é possível relacionar diferentes aspectos de uma disciplina e fazer uma série de associações que serão úteis para uma prova importante ou até mesmo para estudar uma disciplina nova no curso. O mais interessante é que esse método estimula diferentes áreas do cérebro, por isso é considerada uma técnica de fácil memorização, pois ao escrever o conteúdo de forma sintetizada, o lado racional do cérebro é ativado. Mas, ao adicionar cores e desenhos, o seu lado criativo é despertado. Dessa forma, é potencializada a criação de sinapse, pois sempre que aprendemos são criadas novas sinapses e quanto mais temos, é mais fácil criar novas conexões e aprender melhor.

Não faz a menor ideia de como estudar utilizando os mapas mentais? Não se preocupe, é muito simples.

1. Pegue uma folha em branco e vire de forma horizontal ou utilize apenas metade de uma folha, caso queira fichas menores. Dessa forma, o cérebro começa a se expressar com mais liberdade para todas as direções.

2. Coloque o assunto no centro da folha, pois será a partir dele que você fará todas as associações. Ao usar desenhos e cores, você ajuda a fixar mais ainda o conteúdo na mente.

3. Puxe algumas setas e adicione algumas informações para deixar seu resumo mais completo. Lembrando que setas curvadas são mais chamativas para o cérebro do que linhas retas.

4. A medida em que as ideias surgirem, faça mais e mais fichas e associações, não apenas sobre o tema central, mas também sobre outros aspectos.

5. Faça tudo pensado: use cores específicas e faça uma divisão proporcional dos tamanhos. Isso tudo vai fazer parte da comunicação com o seu cérebro.

6. Tente escrever o mais resumido possível. O uso de palavras-chave é essencial para essa técnica dar certo.

7. Não tenha medo em incluir imagens e ícones, não importante se você sabe desenhar ou não, pois quanto maior a diversidade de texto, mais o seu cérebro será estimulado.

Gostou? Agora vai ficar mais fácil aprender aquele conteúdo novo que parece tão difícil, né? Que tal começar a fazer seus mapas mentais hoje?